Esse jovem inventou uma maneira brilhante de limpar o mar do microplástico

Com apenas 18 anos, o irlandês criou uma maneira de limpar o mar dos microplásticos que colocam em risco a biodiversidade, matando peixes, pássaros e tartarugas.

Vamos falar sobre Fionn Ferreira, que nestes dias venceu o prestigiado Grand Prize da Google Science Fair, o concurso para adolescentes de 14 a 18 anos.

Há aqueles que já o renomearam embaixador do meio ambiente, mas ele não usa magia e sim apenas um processo químico que poderia ajudar a salvar o planeta da poluição. Os cientistas há muito tempo alertam que, continuando neste ritmo em 2050 no mar, haverá mais plástico que peixe, e é por isso que muitos estão procurando soluções concretas.

“Eu estudei este método de extração em dez tipos diferentes de microplásticos . A concentração de plásticos antes e depois foi medida com um espectrômetro feito por mim mesmo e um microscópio. Os resultados sustentaram minha hipótese de uma extração de 85%”, explica Fionn Ferreira em seu relatório.

O Google o premiou com 50 mil dólares, mas esse pequeno gênio já ganhou 12 prêmios científicos e teve várias participações na competição internacional para pequenos cientistas.

Na feira de ciências, ele passou por 23 finalistas e em um vídeo explica como ele conseguiu. Enquanto caminha pela costa da Irlanda, ele fala sobre a emergência ambiental. Sua preocupação o colocou para trabalhar entre números, fórmulas e espectrômetro. Assim, ele descobriu que o ferro fluido poderia ser útil para extrair as pequenas partículas de plástico (menores de 5 milímetros) da água.

O líquido magnético não é tóxico e consiste em óleo e magnetita e na água é capaz de atrair microplásticos devido às propriedades não-polares de ambos. E, de fato, no tubo de ensaio de Fionn, a água turva retorna clara em questão de segundos, livre dos microplásticos.

Já falamos muitas vezes sobre os microplásticos: os encontramos em roupas sintéticas, sabonetes, cosméticos, detergentes e muitos outros produtos, de modo que, segundo os especialistas, cerca de 8 milhões de toneladas de microplásticos acabam nos oceanos todos os anos. Eles são então ingeridos por peixes e na cadeia alimentar vão até nos nossos pratos e no ar que respiramos.

Agora, essa nova invenção pode ser um pequeno passo para limpar as águas poluídas, lembrando sempre que o melhor é não poluir mais nada. Chega de plástico!

Fonte: https://www.greenme.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 3 =