USP cria plástico biogradável, transparente, permeável e resistente, feito de mandioca

Estudo de pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da USP  junto com a Escola Politécnica obteve do amido da mandioca um tipo de plástico biodegradável.

O novo material foi desenvolvido a partir de uma técnica que utiliza gás ozônio para processar o amido ao mesmo tempo em que melhora a qualidade do plástico, informa o Jornal da USP. Por meio dessa técnica, o plástico fica mais transparente e resistente, estando apto a ser usado nas mais variadas embalagens, sobretudo, de alimentos.

De acordo com o coordenador do Grupo de Estudos em Engenharia de Processos da Esalq, o grupo de pesquisa está alinhado a outros de universidades do mundo inteiro preocupados em buscar alternativas renováveis para a produção de plástico biodegradável. Uma das fontes que permite produzir esse tipo de produto é o amido, obtido a partir de diversos vegetais, como mandioca, batata, arroz, milho, etc.

Outra pesquisadora envolvida no projeto é Carla Ivonne La Fuente (foto), pós-doutoranda da USP, que explica que o aspecto inovador da descoberta se deve à ozonização, que modifica o amido da mandioca.

Trata-se de uma tecnologia verde, amigável com o meio ambiente. Esse é o foco, modificá-lo com o ozônio de maneira a melhorar suas propriedades na forma nativa”.

A dificuldade em produzir um plástico de boa qualidade, comparável àquele derivado do petróleo, é conseguir que ele seja resistente, qualidade que a pesquisa conseguiu obter a partir do processo de ozonização com o amido da mandioca.

A próxima etapa do projeto é produzir o plástico biodegradável em maior escala. A tecnologia já foi patenteada, a fim de que possa ser transferida para fins semi-industriais, visto que produto é de interesse da indústria porque é resistente, transparente e permeável, podendo ser utilizado de várias formas.

A pesquisa, que vai contribuir para o problema de lixo plástico, um dos maiores desafios ambientais contemporâneos, foi descrita em um artigo intitulado “Ozonation of cassava starch to produce biodegradable films”, publicado na revista científica International Journal of Biological Macromolecules.

Fonte: https://www.greenme.com.br/
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 16 =