Ecodriving: o que é essa modalidade sustentável de condução de carros?

Já ouviu falar em ecodriving? Saiba o que essa nova modalidade de direção tem a oferecer e aprenda a colocá-la em prática.

O avanço da tecnologia nos últimos anos fez com que as indústrias automotivas produzissem veículos cada vez mais sustentáveis, que consomem menos combustível e emitem menos poluentes para o meio ambiente. No entanto, grande parte dos motoristas não aproveita todo esse potencial.

Por isso, é extremamente importante colocar o chamado ecodriving em prática, visto que é possível otimizar custos, tempo de condução e, principalmente, respeitar a natureza e todos os seus recursos. E a melhor parte é que esse estilo pode ser implementado em qualquer tipo de veículo, sobretudo em carros certificados.

Contudo, a pergunta que não quer calar é: você sabe o que é ecodriving e qual a sua importância para o meio ambiente? Caso não, não se preocupe. Neste artigo, você vai conferir tudo sobre esse assunto e fica por dentro de todos os benefícios de adotar essa prática de direção sustentável no seu dia a dia.

O que é ecodriving?

Também chamado eco-condução, o ecodriving nada mais é do que um estilo de dirigir em que o condutor adota hábitos mais ecológicos, seguros e eficientes, que o permitem aproveitar o potencial máximo do veículo. Afinal, a forma de direção é tão importante quanto às características ecológicas de cada carro.

Especialistas dizem que quem adota esse estilo de direção pode poupar o consumo de combustível em até 25%, além de outros benefícios. Isso significa que quanto mais hábitos sustentáveis no trânsito o motorista adotar, mais vantagens terá.

Qual o objetivo dessa prática?

Essa prática possui diversos objetivos, sendo o principal deles a redução do consumo de combustível, fator que contribui diretamente para uma maior economia no final do mês e também para a otimização de recursos de uma frota.

Além disso, com uma condução mais consciente e eficiente, também é possível diminuir a quantidade de emissão de gases poluentes, especialmente óxidos de enxofre e de azoto, e de emissão de gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono, um dos grandes responsáveis pelo aquecimento global.

Outra grande vantagem é que essa modalidade de condução mais sustentável também ajuda a reduzir os problemas mecânicos de uma frota de caminhões, por exemplo.

Como colocar a eco-condução em prática?

Veja algumas das principais práticas que um eco-condutor deve adotar.

Verifique a pressão dos pneus

Esse hábito, além de muito importante para sua segurança e das demais pessoas no trânsito, também garante mais economia para uma frota.

Isso porque quando a pressão do pneu não está adequada, sua vida útil diminui. Quando um pneu é utilizado com a pressão abaixo do normal, por exemplo, há um desgaste lateral e também um maior consumo de combustível.

Conduza o veículo com uma velocidade constante

Dirigir em alta velocidade, além de ser muito perigoso, aumenta o consumo de combustível do veículo. Além disso, acelerações e frenagens bruscas nunca são recomendadas, pois causam desconforto para o motorista e para os passageiros.

Sendo assim, tente evitar as velocidades excessivas e, sempre que possível, conduza o veículo com o máximo de suavidade que conseguir.

Utilize as marchas corretamente

Passar as marchas no momento correto, ou seja, quando ela estiver na rotação ideal, é fundamental, pois contribui para um aproveitamento mais eficiente do motor.

Ligue o motor apenas no momento do arranque

Outra prática fundamental da eco-condução é ligar o motor do veículo apenas no momento imediato em que for dar início a viagem, pois ajuda a diminuir o consumo de combustível.

Ademais, também vale lembrar a importância de desligar o veículo sempre que tiver que ficar parado por mais de 1 minuto.

Manutenção preventiva

Por último, é essencial ressaltar que todo motorista praticante do ecodriving deve sempre realizar a manutenção preventiva do seu veículo, evitando, assim, que ocorra qualquer tipo de falha mecânica que possa causar gastos ou agredir a natureza.

Fonte: www.greenme.com.br