Poluição por plástico e outros poluentes atingiu limite irreversível

Pesquisa indica que o planeta já ultrapassou o limite planetário reversível de poluição química

O avanço da produção de componentes químicos e do plástico resultou na ultrapassagem do limite planetário de poluentes. Desde 1950, é estimado que a confecção de químicos tenha aumentado em até 50 vezes. Além disso, entre 2000 e 2015, só a produção de plástico teve um aumento de 79%.

Os limites planetários foram reconhecidos em 2009 e levam em conta a resiliência do planeta em relação aos danos criados pelo ser humano. Eles indicam qual o máximo de prejuízo que a Terra pode suportar até se tornarem irreversíveis. Inicialmente, quando o termo foi adotado, o limite planetário de poluentes químicos ainda não tinha sido contabilizado. Porém, cientistas conseguiram identificar a ultrapassagem de um nível “seguro”.

A dificuldade de quantificação exata pode ser justificada pelos altos níveis desses poluentes no planeta. Porém, a velocidade e o número excessivo da produção de materiais químicos como o plástico já excederam a capacidade do governo de identificar seus riscos globais. Pensar, mesmo sem a contagem exata, que esse limite planetário ainda não foi excedido é um nível de otimismo muito grande.

Anteriormente, dentre os nove limites planetários reconhecidos, três já tinham sido ultrapassados. A nova teoria de que os limites de poluição química já foram excedidos foi publicada no jornal Environmental Science and Technology e apresenta uma nova preocupação para a saúde do meio ambiente.

A poluição química é um dos tipos de poluição mais comuns. A classificação se refere principalmente à contaminação ambiental do solo e das águas, normalmente gerada pelo descarte incorreto de produtos químicos. Alguns exemplos de produtos que geram poluição química são os resíduos industriais, esgotos domésticos e resíduos descartados incorretamente, de forma proposital ou não.

Acredita-se que a massa total do plástico, por exemplo, seja de duas vezes a massa de todos os mamíferos presentes no planeta. Cerca de 80% de todos os plásticos que já foram produzidos na história ainda estão presentes no meio ambiente. E, mesmo assim, especialistas acreditam que a sua confecção pode aumentar, assim como a poluição química.

Além da poluição, acredita-se que a produção desse material também afete outros limites planetários, como a mudança climática e os abusos do uso da terra.

De acordo com os cientistas envolvidos na pesquisa, para tentar reverter esses impactos, precisamos adotar um esquema de economia circular, onde não há desperdício e tudo que possa ser reaproveitado, é utilizado.

Fonte: www.ecycle.com.br