Ser eco-friendly é seguir um caminho permeado por escolhas socioambientalmente mais harmoniosas

Eco-friendly significa “amigável ao meio ambiente”, de acordo com a língua inglesa.

Em outros termos, eco-friendly se refere a algo, ou alguns produtos, que não causa danos socioambientais ou tem impactos reduzidos em comparação a um produto, evento, situação ou postura equivalente. No Brasil, esse conceito também está presente nos termos “ecológico”, “sustentável”, “consumo consciente”, “verde”, entre outros.

A escolha por uma atuação no mundo de modo eco-friendly, com suas limitações, é uma postura que pode ser adotada tanto por empresas, governos e organizações quanto por pessoas, em várias situações. Entenda:

Alimentação

Adotar uma postura eco-friendly vai além de adquirir um produto com uma etiqueta da cor verde e depois de um tempo esquecê-lo no armário. Na verdade, uma atuação socioambientalmente responsável deve ser perene e constante, e não se encerrar em uma compra, por exemplo. Por isso, repensar a forma de alimentação, que é a ação mais simples e recorrente que todos os seres humanos praticam (ou pelo menos deveriam) é o primeiro passo.

Nesse processo, é importante entender que todo alimento, antes de ser consumido, percorreu um longo caminho e, dependendo de sua origem, causou mais ou menos impactos socioambientais. Mas o que seria um alimento eco-friendly?

Nesse caso, não tem como especificar, mas existem diversas evidências que já mostraram qual é o melhor caminho. As pessoas que buscam seguir esse caminho adotam práticas sustentáveis que incluem a maior redução possível de produtos de origem animal como carne, ovos e leite; priorizando alimentos de origem vegetal produzidos localmente e de modo orgânico; e adotando o desperdício zero.

Dessa forma, seja na hora de escolher almoçar na segunda-feira, ou planejar o cardápio de reunião da empresa, que tal levar esses aspectos em consideração?

Certificação B

Uma empresa B é aquela que possui certificação B. Essa categoria de empreendimentos visa como modelo de negócios o desenvolvimento social e ambiental. O sistema B é um movimento que pretende disseminar um desenvolvimento sustentável e equitativo por meio da certificação de empresas no âmbito global.

Toda empresa do sistema B possui como objetivo solucionar problemas socioambientais. Dessa forma, por que não aderir à certificação B (se você tiver um empresa) e incentivar empreendimentos com sistema B?

Lixo zero

Para reduzir o lixo orgânico doméstico é necessário evitar o consumo desnecessário e o desperdício – e praticar compostagem. Da mesma forma, para reduzir a quantidade de outros tipos de lixo, como o de plástico, o primeiro passo é evitar o consumo. Você precisa mesmo utilizar canudos de plástico? E copos, pratos e talheres descartáveis? Uma opção é carregar com você um kit de alimentação para evitar os descartáveis quando estiver na rua.

Prefira materiais menos danosos. Ao fazer suas compras, prefira embalagens de vidro, papel e papelão. Tome cuidado com algumas embalagens de molho e itens longa vida, que, apesar de parecerem ser apenas papelão, possuem finas camadas de BOPP, um plástico que dificulta a reciclagem. Preste atenção nos rótulos das embalagens e, se não for possível evitar o consumo de embalagens plásticas, procure embalagens recicláveis.

Troque sua escova de dentes de plástico por uma de bambu. Em vez de comprar lâminas de barbear descartáveis, use um barbeador de metal – o produto é durável, compensa financeiramente em bem pouco tempo de uso e você evita o descarte de produtos feitos por plástico e metal, cuja separação para reciclagem dificilmente ocorre.

Dê prioridade aos bioplásticos. Conheça o plástico verde, o plástico PLA e o plástico de amido. Mas evite alguns biodegradáveis como os plásticos oxibiodegradáveis, que não chegam a se biodegradar completamente e acabam provocando danos ambientais.

Existem outros itens muito comuns em nosso dia a dia que causam um grande impacto ambiental, como é o caso de absorventes e fraldas descartáveis. Mas já existem soluções eco-friendly para esses produtos, como o coletor menstrual, o absorvente de pano, a calcinha absorvente e as biodegradáveis.

Para evitar os descartáveis que costumam vir com os lanches na rua e junk food, que tal fazer suas compras a granel e cozinhar em casa, evitando a geração de tanto lixo? De quebra sua saúde também agradece. Procure lojas em que seja possível levar seus próprios recipientes e saquinhos de pano para comprar grãos e frutas secas, por exemplo.

Tome cuidado também na hora de comprar seus utensílios domésticos, preferindo produtos de vidro ou metal aos itens de plástico, que podem liberar bisfenol e outros disruptores endócrinos na sua comida durante o preparo e/ou armazenamento e depois ir parar no meio ambiente. Se você não puder cozinhar, opte por um restaurante com comida de verdade, servida em pratos de louças, talheres de aço e copos de vidro.

Para os lanches rápidos, leve seus próprios utensílios duráveis. Na hora de embalar sua comida, evite também o filme plástico e os saquinhos de plástico, que podem ser substituídos por sacos de pano para pão, potes reutilizáveis ou opções como uma cobertura semelhante ao filme plástico, mas reutilizável e feita de cera de carnaúba.

Zere o consumo de cosméticos com esfoliantes sintéticos, pratique upcycle, troque a esponja de louça de poliuretano pela bucha vegetal, pratique plogging e, se não for possível evitar o consumo ou reutilizar, encaminhe seus descartes para a reciclagem. Confira no mecanismo de busca do Portal eCycle quais são os postos de coleta mais próximos de você.

Se você tem uma empresa, é ainda mais importante ter uma postura eco-friendly com os resíduos gerados pelo empreendimento. Mas cada em empresa é um caso a ser analisado.

Achou que é muita coisa ser eco-friendly com os resíduos? Não se assuste! Comece pelo o que você pode fazer, aos poucos.

Fonte: www.ecycle.com.br