No Quênia, a primeira usina de energia solar que transforma a água do oceano em água potável

De acordo com um relatório recente da UNICEF e da Organização Mundial de Saúde, mais de 2 bilhões de habitantes do planeta não têm acesso à água potável.

Uma em cada três pessoas utiliza água contaminada ou não controlada para lavar, cozinhar, beber, muitas vezes adquirida após percorrer distâncias consideráveis a pé, por meios improvisados.

A maioria dessas pessoas, cerca de 80%, vive em áreas rurais onde não existe infraestrutura básica para se ter acesso à água ou onde a água não é segura ou está muito distante.

Garantir o acesso à água potável é um desafio real que a ONG GivePower decidiu enfrentar ao construir a primeira usina de dessalinização de água movida à energia solar.

A estrutura foi instalada ao longo das costas da cidade de Kiunga, no Quênia, e, graças aos avançados sistemas de filtragem, é capaz de converter a água do oceano em água potável.

O território de Kiunga é particularmente árido e, antes da construção da usina, os habitantes eram forçados a enfrentar uma viagem de uma hora para conseguir água suja, contaminada e salgada de um poço.

A usina exigiu um investimento de 500 mil dólares e um mês para ser construída. Graças a esta nova infraestrutura, é possível produzir até 50 mil litros de água potável por dia.

As usinas de dessalinização normais requerem muita energia, revelando-se muito caras e, por vezes, impossíveis de serem construídas em áreas onde não há conexões com a rede elétrica.

Por esse motivo, a GivePower projetou a Solar Water Farm, a primeira usina de dessalinização de água que funciona graças aos painéis fotovoltaicos, que produzem energia e usam baterias Tesla para armazenar essa energia.

Segundo a ONG, a qualidade da água produzida pela Solar Water Farm é melhor que a de uma usina tradicional e o processo não tem impactos ambientais negativos.

Dado o sucesso do novo empreendimento, a GivePower está levantando fundos para poder construir outras em áreas afetadas por períodos prolongados de seca, de modo a garantir água potável para mais e mais pessoas.

“Quero fornecer água para um bilhão de pessoas nos países em desenvolvimento”, disse Hayes Barnard, presidente da GivePower. “A cada 90 segundos, uma criança morre de doenças transmitidas pela água. É realmente um grande problema.

 

Fonte: https://www.greenme.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + quinze =